Gestão da Tecnologia da Informação

O conceito de tecnologia da informação (TI) [1] que utilizo é mais abrangente do que o de sistemas de informação.

A TI pode ser vista como o conjunto de sistemas de informação de uma organização, a infraestrutura, a arquitetura e a gestão que os supervisiona. O papel fundamental da TI é apoiar o negócio na busca de seus objetivos. Ao mesmo tempo a TI alterou radicalmente a organização viabilizando a gestão baseada em processos e o foco no melhor atendimento do cliente. As funções organizacionais continuam a existir, mas a TI deu vida aos processos organizacionais.

Por sua vez o sistema de informação é um conjunto de componentes inter-relacionados que coleta, processa, armazena, analisa e distribui informações para fins ou objetivos específicos. Desta forma considera-se que os sistemas de informação são parte da TI conforme ilustra a figura.

Sem título

A TI também pode ser definida como o conjunto de todas as soluções providas por recursos de computação que visam permitir a produção, armazenamento, transmissão, e o uso da informação

O aspecto essencial aqui é a tratar a gestão da TI e não especificamente os sistemas de informação ou mesmo a tecnologia da informação. A grande questão da gestão da TI é faze-la contribuir com o desempenho da organização. Esta não é uma tarefa simples considerando as características da TI.

O paradoxo da produtividade, uma expressão cunhada na década de 80 já sinalizava para a dificuldade em associar investimentos em TI e produtividade. Ele retratava a discrepância entre medidas de investimento em TI e medidas de produção a nível nacional. Na década de 90, outros autores incluindo Erik Brynjolfson, reforçaram as dificuldades em evidenciar o impacto da TI em uma lucratividade acima do normal nas organizações. A figura abaixo ilustra a relação necessária entre TI e desempenho.

Sem título

[1] Considere Tecnologia da Informação (TI) e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) como sinônimos.

Gestão da Tecnologia da Informação – II

Albertin & Moura reforçam que a  administração de informática (neste texto chamada de gerenciamento da TI) não deve considerar apenas o aspecto técnico de sua função mas também o aspecto social. Também deve considerar ambientes interno e externo. Os autores identificaram  os fatores críticos de sucesso (FCS) para o gerenciamento de TI para organizações bancárias. Os FCS identificados de alguma forma servem para outras organizações principalmente quando considera-se estágio da administração e ambiente de TI equivalentes.

Fatores críticos de sucesso (FCS) (Rockart, 1979) são áreas de um negócio nas quais os resultados satisfatórios asseguram um desempenho competitivo superior para a organização. FCS quando utilizados no gerenciamento de TI visam assegurar o sucesso da área de TI e garantir o sucesso da organização que considera a TI como um dos seus fatores.

No artigo citado como referência , os autores fazem uma análise de casos no setor bancário apresentados por Albertin  na sua dissertação de mestrado defendida na FEA-USP em 1993. As funções administrativas foram classificadas em planejamento, organização, pessoal, direção e controle. Para estas funções Albertin & Moura resumem os FCS para o gerenciamento da TI .

 Função – FCS

  • Planejamento – apoio da alta gerência, alinhamento estratégico, processo de priorização, processo de estimativa.
  • Organização – estrutura organizacional, participação na organização, desenvolvimento gerencial
  • Pessoal – desenvolvimento gerencial, capacitação em novas tecnologias
  • Direção – Gerência de nível médio,
  • Controle – controle de desempenho e qualidade.

Albertin & Moura alertam que o estudo e o tratamento dos FCS devem ser realizados continuamente.

Referência ;

Albertin & Moura. Administração de Informática e seus fatores críticos de sucesso, RAE, set/ou 1995.