Consumerização da TI

por manoel veras

Segundo a Forrester a consumerização é a crescente influência que nossas experiências em tecnologia como consumidores, tanto de hardware como de software, tem sobre a tecnologia que esperamos usar no trabalho.

Diversas forças convergiram para o surgimento da consumerização: acesso em banda larga cada vez mais disponível, redes sociais cada vez mais acessíveis, avanço das tecnologias de dispositivos, computação em nuvem  e mobilidade.

O uso de dispositivos como smartphones em rotinas pessoais e  no ambiente de trabalho fez surgir o fenômeno BYOD (Bring Your Own Device) que se traduz em uso de um único dispositivo para as duas rotinas. O BYOD fomenta a consumerização.

Com a consumerização os usuários já não vêem diferenciação entre aplicações pessoais e aplicações de negócios. Os usuários passam a questionar  porque as aplicações de negócio não são intuitivas e fáceis de usar como as aplicações pessoais (apps) que usam no dia a dia. Nas apps toda a complexidade está escondida (abstraída) e o usuário interage com o dispositivo de forma muito simples. Nos sistemas de negócio atuais como ERPs a complexidade é compartilhada com os usuários. Este comportamento traz desgastes para as equipes de TI e dificultam o gerenciamento de serviços e dispositivos.

A consumerização pode trazer benéficios e  riscos para o negócio. Os benefícios seriam o aumento da produtividade, crescimento do negócio, redução de custos e estimulo de uma relação de confiança entre empresa e funcionário, A consumerização ,por sua vez, pode implicar em aumento dos riscos, aumento de custos, falta de governança, piora da segurança e forçar mudança nas políticas de segurança e conformidade da organização.

A rápida expansão de plataformas de dispositivos e o surgimento de novos aplicativos dificulta o gerenciamento de serviços de TI, já que boa parte das ferramentas de gerenciamento não estão prontas para gerenciar dispositivos como os smartphones. Políticas de segurança se tornam mais complexas pois devem levar em consideração os aspectos de uso pessoal e profissional dos dispositivos.

A área de TI terá que se acostumar em não ter total controle sobre os dispositivos utilizados na rede da organização. Os serviços baseados em  BYOD permitirão que os usuários escolham os dispositivos que melhor atendem suas necessidades pessoas e de negócios.  O suporte proporcionado pela equipe de TI deverá ser melhor estruturado para considerar o BYOD. A utilização de  melhores práticas, foco dos últimos anos de muitas organizações de TI, podem já não servir.

Referência :

IT managers selectively embrace consumerization. Forrester, 2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>